skip to Main Content
Simples Nacional Para Empresas De TI – A Melhor Opção Para O Seu Negócio?

Simples Nacional para empresas de TI – a melhor opção para o seu negócio?

Tenho certeza que você já deve ter ouvido falar do Simples Nacional! Neste post irei te explicar as vantagens do Simples Nacional para empresas de TI.

Se você presta serviços de tecnologia, mas não sabe qual o regime tributário que melhor se adequa ao modelo do seu negócio, esse artigo é o que você precisava!

O que é o Simples Nacional e qual seu diferencial?

Partindo do básico, Simples Nacional é um regime tributário que simplifica o recolhimento de impostos dos empreendedores de pequenas e médias empresas.

A vantagem de se utilizar esse regime é que em uma única guia são pagos oito tributos:

  • Imposto sobre a Renda da Pessoa Jurídica – IRPJ;
  • Contribuição Social sobre o Lucro Líquido – CSLL;
  • Imposto Sobre Produtos Industrializados – IPI;
  • Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social – COFINS;
  • Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e Sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação – ICMS;
  • E Contribuição para o PIS/Pasep, Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza – ISS.

As vantagens se estendem a uma tributação menor em relação ao regime de Lucro Presumido, recolhida em uma guia única, a facilidade da regularização – com o parcelamento e de apuração de débitos mais simplificados pela Receita Federal – e o Certificado Digital, para empresas com mais de cinco funcionários.

Tendo em vista essa facilidade no recolhimento dos impostos, esse regime se apresenta como uma excelente alternativa ao empreendedor que busca redução nos custos e simplicidade na administração dos processos financeiros.

O Simples Nacional nas empresas de TI é um opção que se encaixa na rotina de trabalho, onde, muitas vezes, o profissional que administra os processos é o mesmo que está executando as ações.

Como eu me enquadro no Simples Nacional?

É necessário ter um CNPJ enquadrado como empresa de pequeno ou médio porte, podendo ser microempreendedor individual, respeitando os limites de faturamento de cada categoria.

Todos os débitos devem estar quitados com o INSS e as Fazendas Públicas Federais, Estaduais e Municipais, e não possuir filial ou representante com sede no exterior.

Mudanças no recolhimento

Em 2018 foram instituídas algumas mudanças que afetaram a quantidade de anexos da Lei Complementar nº 123, de 14 de dezembro de 2006, que calcula  as alíquotas a serem recolhidas pelo simples, tomando como base sua área de atuação.

Agora o cálculo da alíquota a ser recolhida ficou um pouco mais complexa devido a esta mudança:

  • Calcule o faturamento dos últimos 12 meses;
  • Aplique a fórmula: [(RBT12 x ALIQ) – PD] / RBT12

Onde:

RBT12: Receita bruta acumulada dos últimos 12 meses;

ALIQ: Alíquota do Anexo em que você está inserido;

PD: Parcela a deduzir (está na Tabela de Anexos do Simples).

  • E por fim, aplique a alíquota encontrada pelo faturamento mensal da empresa.

O Simples Nacional é a melhor opção aos profissionais de TI?

Baseando-se nos custos e complexidade da gestão dos outros regimes tributários, o Simples Nacional se apresenta como uma excelente opção aos profissionais de TI.

Como o nome sugere, ele simplifica o processo de coleta de impostos, facilitando o gerenciamento com que o profissional exerce suas atividades e controla suas finanças, mas é claro que toda a ajuda é bem-vinda, então procure um contador e otimize seus processos.

Conte com a Confisco para te auxiliar, seja seu negócio MEI ou de pequeno e médio portes!

Em caso de dúvidas, entre em contato!

 

Sucesso e até a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top